Novas Diretrizes para o Exame Preventivo do Câncer da Próstata

Sendo uma das neoplasias mais incidentes em homens, o Câncer da Próstata (CP) passa por um momento muito particular em seu diagnóstico e tratamento, pois as várias inovações nas formas de tratamento disponibilizadas nos últimos anos trouxeram o foco da mídia com a divulgação de uma grande quantidade de informações para o público em geral, mas nem sempre isenta de interesses comerciais.

As controvérsias na recomendação sobre “quando” fazer o exame preventivo do CP começaram em 2009, ano em que foram publicados nos E.U.A e na Europa estudos que colocaram em cheque a atual recomendação para que homens acima de 40-45 anos façam exames anuais para detectar precocemente o CP. Desta forma, a Associação dos Urologistas dos E.U.A, a partir de 2013, passou a não recomendar mais exames rotineiros de toque retal e PSA (exame de sangue da próstata) para os pacientes até os 54 anos, assim como os acima de 70 anos. Entre os 55 e 69 anos existe a recomendação, desde que o paciente esteja bem informado dos riscos e benefícios de tal avaliação. Estas mudanças visam diminuir as complicações advindas do tratamento de casos diagnosticados tidos como tumores sem gravidade e que não devem trazer impacto na sobrevida dos pacientes.

Vale ressaltar que tal revisão tem como objetivo, também, enxugar os altos custos com saúde pública daquela parte do mundo. É fundamental que os especialistas brasileiros e a Soceidade Brasileira de Urologia, adaptem tais dados à nossa realidade. No Brasil, ao contrário do que ocorre nos E.U.A , a incidência de CP continua aumentando e a ausência de avalição de maneira radical nos pacientes antes dos 54 anos seguramente vai incrementar esta triste estatística.

Desta forma, no último congresso Brasileiro de Urologia, realizado agora em novembro de 2013, após inúmeras reuniões entre os mais renomados urologista do nosso grande Brasil, decide-se por continuar o exame preventivo do toque retal e PSA nos homens a partir dos 50 anos de idade, e aos 45 anos nos homens que tenham histórico familiar de CP. Esta é a atual diretriz da Sociedade Brasileira de Urologia.